sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O MÉTODO KODÁLY: ORGANIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ACORDO COM A FAIXA ETÁRIA DA CRIANÇA

O método é organizado de acordo com a faixa etária das crianças.





Nas crianças de 3 a 4 anos, as aulas são de 30 minutos, duas vezes por semana, com um trabalho totalmente lúdico e informal. A repetição da música é importante, e as músicas selecionadas possuem o mínimo de notas possível, e um ritmo simples para trabalhar a coordenação motora.
A audição precisa ser preservada, além de aprender a ouvir, não somente escutar. Desta maneira, no início do aprendizado deve-se usar músicas simples, tais como “A Canoa Virou”, “Se eu fosse um peixinho”, e assim por diante.
Quanto à preocupação rítmica, deve-se recitar ou cantar com palmas, conforme o exemplo:

LÉ COM LÉ – palma, palma, palma;

CRÉ COM CRÉ – estrala, estrala, estrala.

UM SAPATO – palma, palma, palma;

EM CADA PÉ. – palma, palma, pé.

Pode haver variações, dando passos para frente, para trás, formando rodas, tudo o que se “combinar”.
Propor uma atividade para desenvolver o lado rítmico associadas com as atividades sonoras (com palma, pé boca, beijo, assobio) ou mudas (gestos, olhos, cabeça).
Depois de muito treino corporal, mostrar cartazes associando os desenhos juntos, onde serão “ti-ti-ti” e o maior, “ta”.



Com crianças de 5 a 6 anos, Marli D´Avila propõe que as crianças entrem na sala de mãos dadas, marchando, formando uma roda, ouvindo um texto rítmico, como por exemplo, “1,2, feijão com arroz”, acompanhando a marcha com o canto. Uma outra atividade que pode ser usada é o movimento da mão para cima e para baixo, indicando sons agudos e graves.
Na linha melódica ou desenho rítmico, todas as silabas deve ser marcadas com palmas, pés, estalos, e assim por diante.
Na pulsação, a marcação imita o coração, pois a pulsação é o coração da música. Para esta atividade, a educadora musical sugere para o treino de batimentos cardíacos dentro de uma pulsação com palavras, como por exemplo:

1 palma: pensa na palavra pé;

2 palmas: pensa na palavra perna;

3 palmas: pensa na palavra pérola;

4 palmas: pensa na palavra pernilongo.

Marchar marcando a pulsação e perceber quantas palmas em cada batida de pé, repetir muitas vezes cada palavra, mantendo a pulsação com os pés ou, ainda, há possibilidade de uma variação, onde a professora bate as palmas e o aluno com o dedo mostra quantas foram em cada passo.
Analisar ou comparar marcações rítmicas e linhas melódicas é um dos requisitos mais fortes do método Kodály, pois ajudam a desenvolver a capacidade para a aprendizagem e a memorização.
Nas crianças de 7 anos, os princípios do método Kodály possuem as seguintes preocupações:

-solfejo relativo;

-escrita relativa;

-perguntas e respostas com notas;

-melodia transformada em ritmo;

-memória melódica e rítmica;

- manosolfa (uso das mãos para indicar as notas musicais indicadas).

Desta maneira, a professora canta trechos de músicas e os alunos repetem cantando as notas musicais (usando apenas as três notas aprendidas.
Sugestões de atividades para vivenciar o ritmo:
1) Duas rodas, onde a de fora marcha para um lado e a de dentro marcha para o outro, cantando uma determinada música proposta.

2) Novamente, intercalando marcha cantada e marcha pensada.

3) Mais um vez, porém intercalando marcha cantada e canto pensado no lugar.

4) Marchar cantando 1, 2, 3, 4, em voz alta e esperando em silêncio, permanecendo no mesmo lugar, o mesmo tempo (1, 2, 3, 4 ).

Treino da seqüência do nome das notas musicais:

1)Falar uma nota em cada marcação: dó-ré-mi-fá-sol.

2)Falar duas notas em cada marcação: do-ré; mi-fá; sol-lá; si-do;

3) Falar três notas em cada marcação: do-ré-mi; fa-sol-lá; si-do ré; mi-fá-sol;

4) Falar quatro notas em cada marcação: do-ré-mi-fá, e assim por diante.

Com as crianças de 8 anos, introduz-se a nota si e fá (semi-tons). Os alunos cantam, dançam, e depois dramatizam a escala através de passos.

O ditado rítmico através do cânone – a professora inicia uma célula rítmica, os alunos esperam a próxima para fazer a primeira, com a atenção voltada para a próxima que será feita, e assim sucessivamente

Na introdução à pausa, usa-se uma figura como “nota”, e o espaço vazio é a pausa (exposição). Podem ser usadas em frases como:

I I I I I I I II II

Colher ()* de pau () existe () para () mexer.

• pausa.

Com as crianças de 9 anos, já inicia-se a dramatização cantada, e a fase de sensibilização é para o desenvolvimento da percepção auditiva – nível de audição e discriminação (ouvir, reproduzir e classificar ) os parâmetros do som (altura, duração, intensidade e timbre); o controle rítmico-motor – senso de pulso (tempo), senso de metro (compasso) e coordenação motora; emissão vocal: afinação, respiração e colocação da voz.

A proposta feita para as crianças de 10 anos concentra-se em manosolfa das canções folclóricas, , cânone com a escala pentatônica, e adivinhar a canção por uma escala da lousa (com as letras iniciais): L

S

M

R

D

L

O objetivo é cantar o mesmo que a professora, porém uma quinta acima, e acompanhando com batidas da palmas e mão na perna.

Controle Rítmico- Motor

A batida rítmica existe sempre, ela está presente mesmo quando não podemos vê-la. Treinar ritmo de todas as formas para interiorizar a pulsação e adquirir controle motor pode ser trabalhado em brincadeiras – jogo de bola –ordem, seu lugar, batata-quente – nas danças, nas cirandas, nas rodas – que é a melhor possibilidade. No compasso binário, a 2 pulsações, (A Canoa Virou), compasso ternário, a três pulsações, (O Cravo).

Emissão Vocal
Cuidado com o processo de respiração, articular adequadamente as palavras, cantar em volume médio, além de exercícios de relaxamento para evitar a tensão. Melhora-se a emissão vocal cantando.
Com as crianças de 11 anos a emissão vocal já pode ser trabalhada com as seguintes sugestões:

- brincar de carregar seu som com as mãos para o colega (uma só nota);

- Levar o som “soluçando”;

-Subir a escada inspirando em um degrau e expirando em outros, quantos puder inicialmente, para mais tarde poder expirar em número de degraus determinados.

- Inspiração sem levantar os ombros e enchendo a barriga;

-Imitar animais;

- Falar várias silabas com um só som (silábico), e vários sons para uma mesma silaba (melismático).

- Solfejar “s”, “m”, “d” várias vezes, omitindo então a nota “m”, para aumentar o intervao e afinar a 5º justa.

As crianças de 12 anos já entram com um repertório barroco, cantam escalas cromáticas e mantem a experimentação de muitos sons de instrumentos, tais como apitos, sinos, chocalhos, tampa de panela, triângulo. Para cada canção analisa-se com o aluno o desenho rítmico, que facilitará a memorização.
Outra sugestão é um exercício rítmico, falado em roda, andando para o (s) lado (s), com variações:

TOK PADOK

PADOK TAK TIQUETÊ

TIQUETÊ TUMBA, TUMBA,TUMBA, TUMBA

Nos alunos de 13 anos inicia-se a prática escrita que, na metodologia em questão, usa as letras das notas – escrita inventada por John Curwem na Inglaterra.

Manossolfa e Mão Guidoniana
Manossolfa é um sistema para orientar o solfejo, isto é, determinar a altura dos sons, não por meio notas na pauta, e sim, por gestos, a saber por disposições diversas dos dedos e das mãos.
O termo “mão guidoniana” veio de Guido D´Arezzo que, verificando a insuficiência nos métodos de ensino musical inventou um próprio, atribuindo a cada articulação e as pontas dos dedos um dos 20 sons do sistema musical de então. Os alunos, estudando a solmização, liam os intervalos e as escalas, uma vezque dominavam a mão guidoniana. Muito embora a mão guidoniana não tivesse passado de um meio mnemônico, (se bem que muito engenhoso), ela transformou-se em em uma espécie de fetiche, considerada pelos teóricos medievais como expressão de toda a sabedoria musical.


10 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa do Musicalizando.

    Deixo neste espaço um Material de Segurança Pública. Enfoque: Arte, Música e Segurança Pública.
    Edição Revista, do Jornal A Tribuna Piracicabana : "Bento 16, o Papa pianista, comenta Kodály e Suzuki" em 11/04/2010 05:20:00 (13 leituras).

    O olho da matéria é este:
    "Estes não admitem a “música pela música”, mas concebem a importância da música enquanto esta participa da prevenção e da solução de problemas reais que a sociedade enfrenta, onde melodias, harmonias e letras devam ser criteriosamente selecionadas com base nas emoções, raciocínios e atitudes que geram."

    Leia mais... | Mais 5993 bytes


    Você também pode ler esta matéria no Leia mais... ou neste link: http://www.tribunatp.com.br/modules/news/article.php?storyid=5252

    No escrever no Google: site:www.tribunatp.com.br "kodaly"

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada por acessar o blog e contribuir com essa informação... vou ler agora mesmo!!!
    Volte sempre

    ResponderExcluir
  3. Você leu o artigo? O que achou? Obrigado pelo retorno!

    André L. R. Cardoso
    (19) 3421-0272

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, o blog está maravilhoso! traduzindo da melhor maneira o método kodály!

    ResponderExcluir
  5. Caro André,

    Desculpe a demora em responder, entretanto, acabei colocando-os (citação) em meus trabalhos também.
    Gostei muito do artigo, principalmente onde diz: "que a música deve unir e, para isso, ressaltar aspectos que estimulem admiração e confiança entre as pessoas".
    Acho que isso falta a nossa geração.
    No parágrafo seguinte diz:
    Também se utilizam do horror da guerra para "dissiparem suas ilusões e reforçarem a necessidade da música como instrumento de paz e crescimento interior"...

    Tento acrescentar esse lado "bom" da música em meus alunos e também através do Blog, espero poder contribuir de alguma maneira!

    Agradeço mais uma vez!

    ResponderExcluir
  6. Olá, "anônimo" rsrsrs...

    Também aprecio o Método Kodaly, apesar de não ser a unica maneira de "musicalizar" que eu utilizo.
    Os cursos sobre o método são excelentes, vale a pena conferir:

    Link do curso 2010...

    http://www.cmbp.com.br/page1.aspx

    Boa sorte!!!!

    ResponderExcluir
  7. Conheci seu blog pesquisando no Google uma ilustração da manossolfa. Achei o blog excelente e estou divulgando. Tenho uma neta de 7 anos que vai começar um curso de música a partir de dezembro. Estou enviando o endereço do blog pra minha filha (mãe da minha neta). Parabéns

    ResponderExcluir
  8. Boa Tarde, Sr. José!

    É um prazer tê-lo como seguidor do meu Blog, fique a vontade, participe, pesquise e também pode dar sugestões para próximas postagens. Espero ajudar no que for possível.

    Muito obrigada pela atenção.

    Abraços

    Dalete

    ResponderExcluir
  9. olá,amigos! tenho observado que precisa de mais conteúdo para surdos!!!tipo, metodos,como explicar a altura da nota,e sinais de acidentes. por favor!

    ResponderExcluir
  10. MUITO OBRIGADA ... ESTAVA PROCURANDO FIGURAS DE MONOSOLFA PRA DECORRAR E ENCONTREI NO SEU LINDO BLOG. PARABÉNS!

    ResponderExcluir